A Apple remunera a Arm com menos de US$0,30 por unidade vendida de seus dispositivos

Cristina Assunção

Apesar de ter desenvolvido seus próprios processadores, embora a gigante de Cupertino busque independência em sua tecnologia, ainda conta com o suporte de empresas como a Arm.

As relações entre a Arm e a Apple não são boas

Apple e ARM não tem bom Relacionamento/Imagem-crédito: securemac
Apple e ARM não tem bom Relacionamento/Imagem-crédito: securemac

Uma divisão do SoftBank baseada no Japão.

Contudo, as relações entre a Arm e a Apple estão longe de serem harmoniosas. De acordo com informações do The Information, em 2017, o CEO do SoftBank, Masayoshi Son, expressou descontentamento em relação à Apple durante uma reunião com funcionários da Arm. Embora a Apple seja uma das principais clientes da Arm em termos de volume, a receita gerada pela empresa americana representa menos de 5% do faturamento total da Arm, totalizando cerca de US$524 milhões em 2022.

Startup brasileira Pismo será a emissora da Apple Card

A razão para essa pequena fatia de receita atribuída à Apple está na remuneração substancialmente inferior que a empresa paga à Arm. A Apple repassa à Arm menos de US$0,30 por dispositivo vendido, incluindo iPhones, iPads, Macs e Apple Watches, pelo licenciamento da propriedade intelectual dos chips – uma das taxas mais baixas recebidas pela Arm. Em comparação, empresas como a Mediatek e Qualcomm representam aproximadamente 10% cada do faturamento da Arm.

Outras informações: Patente Apple ajudar a detectar o seu nível de stress

Falha na segurança do Bluetooth deixa dispositivos Apple vulneráveis a ataque

O CEO do SoftBank disse que Apple paga mais por plástico de tela, do que pelos chips fornecidos pela Arm

CEO do Softbank/Imagem-crédito: forbes
CEO do Softbank/Imagem-crédito: forbes

Masayoshi Son destacou que a Apple paga mais pelos plásticos que protegem as telas dos iPhones do que pelos chips fornecidos pela Arm. Apesar dos esforços para renegociar o acordo com a Apple e melhorar as condições, o contrato entre as empresas, renovado em setembro do ano em questão e válido até após 2024, manteve os preços desfavoráveis para a fabricante de chips.

Em outro episódio, o diretor da Arm teria contatado Tim Cook, CEO da Apple, em 2016, buscando aumentar as taxas de licenciamento. No entanto, Cook referiu-se ao acordo entre as empresas para impedir tal mudança. A Arm também tentou elevar os valores cobrados de outros clientes, porém sem sucesso.

Scanner de documentos integrado é adicionado ao Google Drive para iPhone

Apesar de receber uma parcela relativamente pequena da Apple, a Arm está preocupada com a possibilidade de a gigante de Cupertino deixar de utilizar sua propriedade intelectual a longo prazo. A empresa poderia optar por tecnologias como a RISC-V, que oferecem licenciamento gratuito, embora isso possa levar cerca de uma década para se tornar viável em termos de adoção tecnológica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *