Qual o motivo para a Apple ter produtos caros? Polêmico

A empresa Apple atualmente é uma das empresas mais valiosas  do mundo, nem mesmo o temido PIB do Brasil consegue alcançar o valor de mercado da empresa de 2,3 trilhões de dólares.

A empresa Apple é uma das marcas mais famosas e reconhecidas no mundo, desde os seus produtos que transformaram diversas indústrias inteiras até o seu fundador Steve Jobs.

Existem alguns relatos, no entanto, nos últimos anos o que tem mais chamado atenção dos seus produtos são os seus valores elevados, principalmente do iPhone. O aumento do preço da versão mais básica do iPhone 4 que foi na época de $199 dólares até o iPhone 12 de $699 dólares. Foi uma grande disparada de + – 200 dólares até 1.000 dólares com o lançamento do iPhone X, e esse valor cresceu ainda mais com as versões mais novas e mais caras.

Porque os produtos da Apple são tão caros no Brasil?

Se tratando de Brasil os  preços são ainda mais elevados com o lançamento do iPhone 13 básico que foi anunciado acima de 8 mil reais. Além  disso, outros produtos da empresa Apple tendo lançado o Apple Tv e o famoso relógio inteligente Smartwatch tiveram aumentos expressivos ao  longo dos últimos anos. No Brasil temos encargos tributários bem altos o que ajuda no aumento de valor no repasse dos produtos.

Mas quais são as reais causas econômicas que poderiam estar por trás desse crescimento nos valores?

Bem nesse artigo aqui no iPhone Blog de hoje poderá ser um pouco polêmico e já vamos avisar que somos Maluco do iPhone

Vamos voltar um pouco no tempo em 2007 quando Steve Jobs fez o anúncio do lançamento da primeira linha de iPhone, o produto naquele momento revolucionou o mercado até mesmo em tecnologia, e desse lançamento dominou a indústria de celulares até hoje. Infelizmente outras potências como a empresa Nokia e BlackBerry não conseguiram se adaptar ao mercado e tendo um certo esquecimento dos usuários.

A cada novo lançamento de um iPhone mais inovações surgiram e inovações como criação da App Store, primeiro Marketplace para aplicativos, face ID e câmeras com qualidade cada vez maior, que alavancaram ainda mais a procura pelo produto.

Uma outra inovação criada pela Apple foi o grande ecossistema desenvolvido para seus clientes que se tornou uma das suas maiores vantagens, uma pessoa  que tem um iPhone hoje tem grandes chances de usar outros produtos da empresa como iPad, Apple Watch, AirPod, ter  suas fotos salvas no iCloud, usar o Apple Pay que é o maior sistema financeiro mobile para compras e até mesmo escutar música, que provavelmente será feito pelo Apple Music que no mercado americano supera o Spotify.

O fã da marca fica basicamente imerso em seu ambiente digital e isso cria uma grande lealdade à marca que, por isso, vão continuar comprando seus novos produtos já que estão dentro do ecossistema Apple. O usuário fica amarrado dentro do ecossistema sem precisar usar serviços externos.

Vamos afirmar que essa foi uma grande sacada da empresa.

Por que o iPhone é tão desejado?

Além disso, o iPhone se tornou um símbolo que confere status na sociedade. Ter um iPhone tornou-se uma forma de ostentar e se projetar como uma pessoa bem-sucedida e próspera, o iPhone se tornou um bem de luxo, que confere prestígio para aqueles que usam.

universo apple
Universo Produtos Apple

E o fator principal pela qual as pessoas pensam isso de todos os produtos da Apple é devido ao seu alto preço. Isso leva a um fenômeno que o economista americano Thorstein   Veblen em 1899 chamou de “Efeito Veblen”,  enquanto em produtos normais quanto maior o preço, menor a demanda em marcas de luxo a exemplo do  iPhone, Rolex e roupas da Loius Vitton, quanto maior for seu preço, MAIOR a procura. Essa é a famosa lei básica de oferta e demanda.

Eles são uma forma para alguns de projetar sua riqueza para sociedade, já que um número limitado de pessoas conseguem comprar. Alguns desejam tanto que mesmo tendo um salário baixo, querem parcelar para ter um celular da Apple.

É, por isso, que quando sobram estoques as empresas de luxo como Gucci e Channel muitas vezes queimam. Um dos motivos alegados caso vendam mais barato isso faz seus produtos perderem, esse aspecto de exclusividade e glamour. Quanto mais barato para essas marcas menor será  a procura e por isso pior para as vendas.

A Rolex vai até mais longe nesse aspecto para  conseguir comprar o relógio Daytona, mesmo que você tenha dinheiro suficiente, precisa ser convidado pela marca e aguardar a lista de espera com intuito de aumentar, artificialmente sua procura e consequentemente o seu preço. Essa é uma estratégia usada que eu acho um exagero, mas conseguem vender e ganhar muito dinheiro.

Outras marcas de luxo como a empresa Ferrari e Lamborghini muitas vezes também apresentam, uma grande lista de espera com intuito de conferir essa  ideia de exclusividade ao produto. É claro que existe um limite para o preço desses produtos. É justamente isso que a Apple aos poucos está aplicando, nos seus produtos para aumentar as suas vendas.

A margem de lucro da Apple atingiu valores altíssimos com o iPhone XS ultrapassando de longe, a lucratividade da Samsung e da Xiaomi e vale ressaltar que a cada ano os iPhones, vem com design diferente justamente para diferenciar com intuito de mostrar para todos, que você tem o iPhone mais caro do momento, reforçando a cada ano o efeito Veblen.

Nesse  sentido, embora a Apple venda somente 13% dos celulares comprados, ela é responsável por 70% de todo o lucro gerado pela indústria de Smartphones, e poucas empresas na história atingiram tamanho nível de sucesso.

Portanto, se a empresa quisesse baixar o preço do iPhone e ganhar parte do mercado da Samsung e Huawei, isso teoricamente poderia ser feito dado a magnitude de lucro que suas operações geram, mas isso a faria perder o efeito Veblen que tanto a beneficia.

Porque os produtos Apple são tão caros?

Toda a sua cadeia produtiva é feita para gerar o máximo de lucro, inclusive provavelmente  você não sabe, mas a Apple é basicamente uma empresa Irlandesa, porque cerca de 80% de toda sua receita fora dos Estados Unidos, foi declarada através de empresas  subsidiárias criadas na Irlanda, e a maior parte das patentes dos iPhones está em mãos da  companhia irlandesa, “Apple Sales Internacional”. Nesse país cobra menos de 2% em   impostos e ainda garante acesso a todo o mercado consumidor europeu.

No entanto,   essa situação de extrema lucratividade acabou deixando a Apple em uma situação inusitada, suas operações geram dinheiro em um ritmo muito mais rápido do que ela consegue gastar.

Até o momento a empresa não retirou o seu dinheiro da Irlanda, com isso uma quantidade enorme de caixa, vem se acumulando e alcançou cerca de 200 Bilhões em 2019.

Para você ter uma pequena noção a empresa tem mais caixa que o banco central da Alemanha, e outros países têm reservas monetárias. E como a empresa tem uma  política bem conservadora na aquisição de grandes companhias, como a última grande sendo a  compra da Beats em 2014 por 3 Bilhões. É muito dinheiro para o Tim Cook CEO saber onde investir.

Por que a Apple vende tanto?

Parte da Apple se tornou praticamente um grande fundo de investimentos. Já esse dinheiro precisa ser aplicado em títulos financeiros, e acaba gerando insatisfação em alguns dos investidores, que preferem que a Apple distribua esses lucros como dividendos para  seus investidores, ao invés de deixá-los rendendo pouco em ativos financeiros, como está hoje.

No entanto, por mais que a sua política de cobrar altos preços esteja funcionando em países  ricos, que tem um enorme mercado com alto poder aquisitivo esse cenário é diferente em mercados, emergentes como na Índia onde mais de 70% dos celulares são vendidos por menos, de 250 dólares bem abaixo dos 1.000 dólares cobrados pela Apple, com isso a empresa vem fracassando em vender mais nesse país.

Na China suas vendas também estão caindo. A população de países emergentes têm menor renda e, portanto, menor o público que consegue adquirir esses produtos, devido o valor dos iPhones impacta muito nas vendas.

Xiaomi, Huawei e Oppo oferecem celulares a preços muito menores a partir  de 100 dólares e com isso, ganham a competição na China que é o maior mercado consumidor de  smartphones. Essa guerra comercial entre chineses e americanos também atrapalha já que vários, dos seus serviços da Apple foram bloqueados em território chinês diminuindo a imersão, do consumidor chinês no ecossistema Apple e tornando mais fácil sua troca de celular para outras marcas, e também o iOS foi banido de usar o WeChat que é o aplicativo mais usado no país.

Esse cenário  fez com que a Apple em 2019 apresentasse quedas na participação do mercado chinês.

Por isso, no momento a Apple tem um problema o mercado para o iPhone em países como  Estados Unidos e Europa, está ficando saturado no momento, as vendas vêm apresentando lento crescimento, menos inovações estão ocorrendo no setor gerando menos procura dos consumidores, para trocar de iPhone e o preço dos seus produtos atingiu um limite muito alto.

E ao mesmo tempo, a empresa não está conseguindo compensar isso aumentando suas vendas em países emergentes, como a China e Índia e os investidores estão impacientes   quanto ao dinheiro mantido, em caixa rendendo a baixas taxas.

O que a Apple realmente vende?

Por causa disso, Tim Cook, atual CEO da Apple está buscando expandir para outros mercados, um deles é a sua aposta no segmento de streaming como Apple TV+ para competir com Netflix, Amazon Prime e Disney +.

A Apple vai gastar cerca de 6 Bilhões de dólares por ano em seu streaming para produzir seus próprios conteúdos, o mesmo gasto da Amazon para disputar nesse setor. Diretores como Steven Spielberg já firmaram acordos para produzir filmes para a Apple TV+.

E outros projetos como os Apple Arcade, sistema de assinatura para vídeo games que apresenta cerca de 12 milhões de assinantes, também estão recebendo investimentos pesados. Muitas pessoas adorariam estar na posição de Tim Cook, com a Apple sendo uma das empresas mais lucrativas, e reconhecidas no mundo e com caixa em excesso, no entanto entre 2025 e 2030 essa situação vai se tornar bem diferente.

Agora existe uma grande decisão interna na empresa na qual precisa definir se a Apple, será uma empresa de serviços ou hardwares. A parte de serviços da Apple vem crescendo em um ritmo mais acelerado que a venda dos iPhones, e possivelmente no futuro ultrapassará o lucro com os seus dispositivos.

A Apple está lentamente se tornando uma empresa de serviços como Netflix e não mais uma companhia somente de hardwares, e embora  isso vai ajudar a englobar seus clientes em um ecossistema ainda maior, uma vez que agora até seus filmes estarão em mais serviços Apple, aumentando ainda mais a lealdade dos seus clientes. Isso vai mudar o foco da companhia ao longo do tempo.

Desde 1976 quando Steve Jobs e Steve Wozniak fundaram a Apple Computer da garagem, da sua casa muitas coisas mudaram e hoje a empresa da Maçã, está tentando abrir ainda mais seus horizontes.

5/5 - (5 votes)
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informações